domingo, 30 de junho de 2013

UMA ÁRVORE




Façamos da nossa vida um mistério de entrega aos outros, de auto-doação... Como esta árvore, como Jesus que veio para servir e não para ser servido...


"Se por algum desígnio voltar a esta terra amada gostava de ser uma árvore visitada por aves no Verão, por onde se passeassem os esquilos, onde escrevessem no casco pequenos nomes humanos apaixonados.

Uma árvore de uma floresta do norte on
de no inverno cai a neve e há aquele silêncio que tudo guarda. E que depois fosse cortada por um lenhador, pai de uma família grande e saudável, e que parte de mim fosse logo queimada, o seu calor cozendo a comida de todos e que com a melhor madeira se fizesse uma mesa onde alguém um dia escrevesse uma carta a alguém que estivesse longe para lhe dizer que a amava."


Pedro Paixão, em "Nos teus braços morreríamos"

sexta-feira, 28 de junho de 2013

MEDITANDO O TEMPO QUE PASSA...


 “Aquele que quiser guardar/conservar a vida, perde-a; quem a der/gastar, ganha-a!” (Mt 16, 25)


«(...)O Ser Humano não se possui a si próprio pelo caminho da auto-conservação. Por aqui, morre enterrado em si mesmo!

Só nos realizamos na medida em que nos abrimos e nos damos.

Saber morrer humanamente é aprender a abrir-se aos outros e a Deus. Transformar o morrer em auto-doação… isto é salvar a vida.

É colocar dentro da dinâmica de viver e ainda dentro da dinâmica de morrer uma outra dinâmica que é amar(...)»


São apenas alguns excertos de um texto que vale a pena ler na totalidade, através dos links que partilho abaixo. O texto está dividido em 4 partes. Se quiserem, invistam alguns minutos do vosso tempo para se enriquecerem com essas palavras.



Meditanto o Tempo que passa... (1) http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2007/12/meditando-o-tempo-que-passa-1.html?spref=tw

Meditanto o Tempo que passa... (2)http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2008/01/meditando-o-tempo-que-passa-2.html?spref=tw

Meditanto o Tempo que passa... (3)http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2008/01/meditando-o-tempo-que-passa-3.html?spref=tw

Meditanto o Tempo que passa... (4)http://derrotarmontanhas.blogspot.pt/2008/01/meditando-o-tempo-que-passa-4.html?spref=tw

terça-feira, 25 de junho de 2013

SERÁ ATEU QUEM TEM UM CORAÇÃO BOM?

Kierkegaard levanta uma questão inquietante: quem será mais ouvido por Deus? Será aquele que sabe a doutrina toda, mas tem um coração mau? Ou será aquele que, mesmo não sabendo a doutrina, tem um coração bom?

Ninguém tem dúvidas quanto à resposta. Jesus, quando apontou para o essencial, disse para aprendermos com o Seu coração manso e humilde.

O fundamental é que apostemos na totalidade. É possível (e, mais que possível, desejável) conhecer a doutrina e praticá-la. Porque a doutrina leva a isso. Não é a doutrina que nos impede de ter bom coração.

Às vezes, os ateus dizem não acreditar em Deus. Mas, no fundo, não acreditam é naqueles que falam tanto de Deus, mas não vivem segundo Ele.
 Em boa verdade, o máximo que um irmão ateu pode dizer é que não crê. Como é que ele pode decretar que Deus não existe?

No fundo, o que ele diz é que Deus não existe em tantos que se dizem crentes. Portanto, somos nós que mais argumentos damos, tantas vezes, para o alastramento da descrença.

Os problemas da Igreja são, cada vez mais, internos. De fora vêm as interpelações. Mas é de dentro que emergem os obstáculos.

Estejamos atentos. E sejamos humildes. Não seremos nós mais ateus do que muitos ateus? 





domingo, 23 de junho de 2013

ESTE CÉU PASSARÁ




Este céu passará 

e então teu riso descerá dos montes pelos rios 
até desaguar no nosso coração 



Ruy Belo

domingo, 16 de junho de 2013

OLHOS BEM ABERTOS

«Para ser credível, o crente não deve ser "apenas crente", mas um "crente apesar de tudo", ou seja, com os olhos bem abertos, frente às realidades que interpelam os homens e os ferem.»

Abbé Pierre, 1991

«Para o cristão, a realidade constitui um diálogo e o lugar encantado de uma presença.» 

Gabriel Magalhães, em "Espelho meu"

quinta-feira, 13 de junho de 2013

AMOR E JUSTIÇA


«A justiça de hoje é o amor de ontem. 

O amor de hoje é a justiça de amanhã.»



Étienne-Michel Gillet (1758-1792)

terça-feira, 11 de junho de 2013

SOMOS CHAMADOS A AMAR ASSIM

Amar sem condição, circunstância ou situação
Amar independentemente do estado ou da forma...

Amar sem condição
Sem exigências ou imposição...

Amar sem lugar ou factos, sem coisas indispensáveis ou essenciais...

Amar sem ter condições
Amar quem não tem condições...

Amar sem condição e amar assim mesmo
Sem esperar....

Sem esperar que surjam as condições e a oportunidade certa para amar...
Porque muitas vezes "não há condições!"...


Amar sem condição, incondicionalmente e inteiramente


domingo, 9 de junho de 2013

NO PEQUENO SE VÊ O GRANDE


«Em tudo (nas palavras e nas acções), mostramos o que somos.
Mas é sobretudo nas coisas mais pequenas que revelamos a nossa identidade.

Chamfort assinalou: «Nas grandes coisas, os homens mostram-se como lhes convém; nas pequenas, mostram-se como são».

Para se conhecer alguém, é importante notar como se comporta com os pequenos e nas pequenas coisas.»

Fonte: http://theosfera.blogs.sapo.pt/1891119.html


sexta-feira, 7 de junho de 2013


«Deus nunca “acontece” tão profunda, intensa e puramente como quando um homem ou uma mulher ajudam outro homem ou outra mulher.»


(Andrés Torres Queiruga)

quarta-feira, 5 de junho de 2013

SÓ NA HUMILDADE SE CRESCE



Multatuli avisou: «Todas as virtudes têm irmãs ilegítimas que desonram a família».
A maior de todas é, sem dúvida, a arrogância.
Quando as pessoas virtuosas se tornam orgulhosas nem advertem que o orgulho acaba por desfeitear a virtude.


Só na humildade se cresce. Só se sobe quando se desce.

O caminho de Jesus é a estrada da vida feliz. E felicitante!

domingo, 2 de junho de 2013

PARA QUE A VIDA FLORESÇA...



Nos tempos que correm, é urgente este resgate:


«Resgata-nos de todos os medos e desconfianças para que a vida floresça, de novo, e amadureça todas as promessas que traz consigo» 


(José Frazão Correia, em "A Fé vive de afeto")

Nada é grave...

"Nada é grave, a não ser perder o amor." [Irmão Roger de Taizé]